Segurança em seu Condominio

23/04/15 08:42

alt text

SEGURANÇA NO CONDOMÍNIO

Senhores Moradores, Síndicos, Zeladores e funcionários de Condomínios, abaixo listamos uma série de informações de primordial importância para a segurança de todos.

Dispense alguns minutos do seu precioso tempo, mas não perca a oportunidade de ganhar conhecimentos sobre aquilo que mais afeta a vida dos cidadãos de bem, como você: A falta de segurança.

Em metrópoles como São paulo, Rio, Belo Horizonte e Porto Alegre o item “segurança em condomínio” é levado muito a sério. Aqui na nossa capital (Belém) ainda falta muito para que os nossos profissionais de portaria, bem como o morador de condomínio de forma geral, se conscientize de que é necessário cercar-se de todos os artifícios para não ser enganado e surpreendido pelos bandidos.

FAÇA SUA PARTE

Ajude a fazer do seu condomínio o melhor e mais seguro lugar para você e sua família viver.

SEGURANÇA NOS CONDOMÍNIOS É UM DEVER DE TODOS

Oitenta e um por cento (81%) das pessoas, segundo pesquisas efetuadas, adquirem imóvel em condomínio por causa da segurança. Mas o condomínio não é tão seguro quanto a gente pensa que é, e as notícias publicadas nos últimos meses nos meios de comunicação sustentam esta afirmação. A todo momento ouve-se noticiário dando conta de que condomínios são invadidos, sendo que os preferidos pelos bandidos são aqueles onde residem pessoas abastadas financeiramente.

Não existe segurança total, cem por cento, mas existem medidas para minimizar riscos.

Começamos pela portaria. Na grande maioria das ocorrências de assaltos, invasões, arrastões, etc. Acontecem por falha dos porteiros ou pessoal de vigilância que toma conta da portaria.

PORTEIROS E VIGILANTES

As medidas de segurança a serem adotadas por porteiros e vigilantes visam impedir a oportunidade do crime.

Porteiros e vigilantes devem:

Conhecer todos os moradores;
Evitar contato direto com desconhecidos e visitantes;
Não dormir ou distrair-se durante o expediente;
Não transmitir informações sobre os moradores do condomínio a quem quer que seja;
Utilizar corretamente os meios de segurança existentes;
Conhecer localização do telefone público mais próximo para emergências;
O ingresso de prestadores de serviço deve ser permitido em horários pré-determinados (agendamento prévio) e mediante identificação de documento e crachá, cujos dados deverão ser anotados;
Só permitir o acesso de prestadores de serviço às dependências do condomínio devidamente acompanhados;
Ao atender estranhos (visitantes, entregadores de encomendas ou prestadores de serviço) manter os portões fechados e as pessoas do lado de fora. O portão somente deve ser aberto após a identificação do visitante e da autorização por parte do morador. Se há quaisquer dúvidas quanto à identidade do visitante, o morador deve descer à portaria para identifica-lo;
Manter as portas de depósito de lixo fechadas fora dos horários de coleta;
Não ficar na calçada com as chaves da portaria no bolso (ex: ao lavar a calçada).

CONDÔMINOS e MORADORES

Não entregar as chaves do apartamento ou dos veículos aos funcionários do prédio;
Obter informação de antecedentes de empregados domésticos bem como o endereço atual, e informa-los ao síndico;
Não permanecer em horários impróprios do lado de fora da portaria;
Manter sempre sempre a porta do apartamento fechado;
Manter veículos fechados, com alarme acionado;
Informar ao zelador sobre grandes períodos de afastamento (férias, por exemplo) e proibir acesso de estranhos durante o período;
Elogiar o funcionário quando este pratica uma atitude correta. A repreensão do funcionário quando age segundo as normas de segurança do prédio incentiva que ele dê uma esmorecida nas regras de segurança;

ZELADOR e SÍNDICO

Manter atualizado endereços de empregados;
Instalar equipamentos básicos de segurança;
Manter em condições os equipamentos de segurança;
Estabelecer códigos com vizinhos e funcionários para denunciar ação de marginais;
Estabelecer procedimentos de acesso para visitantes e representantes de empresas prestadoras de serviço;
Entregadores não devem subir aos apartamentos. Esta é, deselegante e impopular, uma medida de segurança. Quando pensamos em segurança, temos de pensar no que é certo e no que é errado;
Fiscalizar as garagens periodicamente e estabelecer crachás de acesso;

EQUIPAMENTOS E TÉCNICAS DE SEGURANÇA

A melhoria da segurança condominial requer coletar dados do que precisa melhorar, realizar um estudo da situação, formular alternativas e selecionar um plano a adotar. Há alguns itens que podem ser citados:

O porteiro tem de visualizar e ficar atento a todas as entradas. Caso haja qualquer obstrução da visualização devem instalar-se equipamentos (ex: câmeras) para substituir a visibilidade direta;
Jardins e áreas verdes devem ser sempre visíveis;
As portarias e guaritas devem estar devidamente protegidas;
Instalar espelhos retrovisores nas garagens;
Reforçar portões e grades;
Instalar fechaduras e chaves de boa qualidade;
Instalar circuito interno (câmeras);
Eventualmente, contratar patrulhamento ostensivo ou até cães de guarda;
Verificar a iluminação das áreas externas do condomínio;
Verificar/construir muros ou cercas;
Instalar porteiro eletrônico e/ou interfone;
Alarmes e sensores de presença devem ser testados periodicamente;
Instalar relógio de vigia quando o porteiro faz ronda;
Automatizar portas e portões;
Fomentar a utilização de equipamento de comunicação (radio, HT e telefones);
Instalar caixas com portinholas para recepção de encomendas.

**NADA, ENTRETANTO, SUBSTITUI A ATENÇÃO
DOS PROFISSIONAIS DE PORTARIA.

CONSCIENTIZAÇÃO DO CONDÔMINO**

Este é talvez o lado mais complexo do assunto. O condômino, que é o maior interessado na sua própria segurança, muitas vezes pensa que ao pagar o condomínio já está fazendo sua parte.

Mas é fundamental que o condômino participe das reuniões, conheça e respeite as normas de segurança. O morador é cem por cento responsável pela segurança condominial, mas é o próprio morador que acaba marginalizando o funcionário que, exercendo suas funções e fazendo a segurança preventiva do condomínio, muitas vezes não é compreendido e intimidado na execução de suas atribuições no condomínio.

É comum o condômino criar caso quando um parente é detido na portaria para registro de acesso, desestimulando o funcionário e comprometendo todo o sistema de segurança.

Em ocasiões não muito raras condôminos ficam extremamente irritados com os porteiros quando estes, segundo as normas de segurança do prédio, negam a permissão a entregadores de pizza, água, remédio… Para efetuar a entrega no apartamento do condômino. Atitudes como essa fazem com que o funcionário perca todo o ânimo em realizar o trabalho de forma correta, pois ele pensa da seguinte forma: “se o morador não tá nem aí, ele mesmo que não vai estar”, ou “que se lixe todo mundo”.

Até fora do condomínio o morador é co-responsável pela segurança da sua moradia: em muitos casos os assaltantes rendem o morador fora do condomínio e entram junto com ele. Apesar dos equipamentos de segurança, a portaria é o ponto mais vulnerável do condomínio.

AO LIGAR PARA O 190

"Os policiais que atendem o 190 são qualificados para um atendimento imediato". É essencial passar a maior quantidade de informações para que a viatura que vai atender a ocorrência tenha as melhores condições possíveis de efetuar um atendimento correto, como:

Procure manter a calma;
Seja claro e preciso nas informações;
Responda às perguntas do atendente de maneira clara e objetiva;
Ao se referir ao local da ocorrência, forneça o endereço completo, além de um ponto de referência de fácil localização e visualização (uma loja conhecida, locadora, praça, avenida, etc.);
Forneça característica e peculiaridades das pessoas envolvidas (sinais, cicatrizes, cor de roupa, etc), tanto vítima quanto criminosos. No caso de ocorrência criminal, identifique, se possível, se os criminosos estão armados;
Caso lembre posteriormente de informações adicionais (placa do carro envolvido na ocorrência, por exemplo) ligue novamente para o 190; os policiais são orientados em tempo real.
Abaixo, listamos os disfarces mais utilizados pelos ladrões na tentativa de burlar a segurança do condomínio, portanto muito cuidado, fique atento o bastante para não ser enganado pelos meliantes.

DISFARCES MAIS UTILIZADOS

Funcionário de concessionárias de serviços públicos (água, energia elétrica, telefone, gás, correio).

Alegam ter de fazer reparos dentro de algumas unidades, ou no caso do carteiro, ter de entregar em mãos determinada correspondência.
– Pedir crachá com foto
– Não permitir a entrada nas unidades, se o serviço não foi solicitado pelo morador.

O porteiro tem de estar atento e conhecer os moradores do prédio. Não abrir o portão para estranhos antes de obter autorização da unidade a que se dirigem.

O ‘bem-vestido’

  • Homem de terno entra a pé pela entrada de pedestres ou pela garagem, quando um morador chegava com seu carro.
  • O porteiro não desconfia de nada porque o homem está bem-vestido.
  • Logo em seguida é rendido pelo invasor, que o obriga a abrir o portão para seus comparsas.
    Orientar o porteiro para não mudar os procedimentos de segurança de acordo com as vestimentas das pessoas ou aparência de status social.

O ‘conhecido’

  • Aproveita-se da entrada de uma pessoa no prédio para ‘pegar uma carona’ no portão aberto dos pedestres.
  • Para não despertar suspeitas, diz alguma coisa para a pessoa que está entrando, parecendo ao porteiro que ambos se conhecem.
    Outra vez, vale a atenção do porteiro. Se ficar na dúvida se conhece ou não a pessoa que entrou, deve abordá-la e perguntar para que unidade se dirige.

Funcionário de instituição de caridade

  • Caso relatado no Rio. O ladrão tinha uma lista com pessoas que freqüentemente faziam doações a instituições, e anunciou o apartamento e o nome de uma senhora que queria ‘visitar’. A condômina autorizou a entrada e foi assaltada.
  • Confirmar se morador requisitou a presença do funcionário. Se não, não permitir a entrada, mesmo que o morador autorize.

Corretor de imóveis

  • Bem vestido, em geral num grupo de dois ou três, apresenta-se como corretor de imóveis e diz que vai visitar determinado apartamento.
  • Confirmar se morador requisitou a presença do corretor. Se não, não permitir a entrada, mesmo que o morador permita.
  • Alertar porteiros para não deixar desconhecidos entrarem, mesmo que estejam ‘bem vestidos’.

‘Dona Ana’

  • Apresenta-se na portaria e diz que vai no apartamento da ‘Dona Ana’. Como este é um nome muito comum, alguns porteiros têm caído no golpe.
  • Só permitir a entrada após autorizado pelo morador.

Entregador de encomendas

(pizza, flores, cestas de café da manhã e outros)
De dois modos:
* diz que vai subir em determinada unidade para entregar;
* Chama o condômino ou um empregado seu para receber, e o rende assim que a porta é aberta.
* Não permitir a subida de entregadores às unidades, em nenhuma hipótese.
* Antes de abrir o portão para receber a encomenda, o porteiro deve confirmar se o respectivo condômino a aguarda.
* No caso de flores e presentes-surpresa, o melhor é que o próprio porteiro receba.
* Outra garantia é instalar um ‘passador’ de encomendas, para não abrir o portão nestes caso.

Boa sorte à todos nós.